Texto sobre a reforma do templo da IBREB

Por Rodrigo Malheiros

À título de informação, o texto a seguir não citará nomes de pessoas que trabalharam noite e dia para que nesse momento estivéssemos reunidos aqui, exatamente aqui, nesse local reservado no dia 29 de julho de 2023 para render louvores em gratidão ao Deus altíssimo. O presente texto é o reconhecimento da Igreja Batista Regular nos Bancários de que cada servo, participante desse projeto imensamente desejado, foi agraciado por Deus em poder servir na Sua obra. Portanto, em forma de palavras, a igreja anela entregar toda honra, toda glória, todo louvor, ao nosso Deus, em gratidão pelo Seu imenso cuidado conosco.

1Te 5:16-18
“Alegrem-se sempre. Orem continuamente. Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.”

A Igreja Batista Regular nos Bancários deparou-se com uma difícil missão, ao menos para os olhos humanos, os quais procuram empodeirar-se de si mesmo para resolver problemas: reformar o templo, uma vez que o teto foi condenado. Precavida quanto a um futuro acidente, balizada pela opinião de profissionais, a igreja decidiu cancelar os cultos no templo e utilizar o espaço multiministerial para os encontros. É preciso ressaltar, alegria não é a primeira palavra que habita os corações quando se pensa em perda, em dano, em despesas… Numa primeira reunião com a direção e posteriormente com toda igreja, fica muito claro que seria preciso unir forças, trabalhar juntos, orar juntos, contribuir financeiramente e servir com todo vigor. Como uma semente regada e cuidada com imenso zelo, a alegria surge no amor dos irmãos pelo templo, lugar que guarda, em cada centímetro seu, grandes memórias de um povo santo para louvor e glória de Deus.
A alegria que Paulo ressaltou para a igreja em Tessalônica, a alegria em Jesus Cristo, pelo seu sacrifício em amor, obedecendo a vontade do Pai. A alegria da certeza, em Fé, de Sua volta e da vida eterna. A alegria da noiva a espera de seu noivo, renova-se a cada dia, diante das misericórdias e dos gestos de amor do bondoso Deus. A primeira lição a ser aprendida foi alegrar-se em meio às tribulações. O projeto Zorobabel foi abraçado pela igreja, cujo intuito era a arrecadação financeira para compra do material da reforma. Um valor alto, um desafio audacioso, contudo, alegrou-se a igreja em ofertar. Os cultos da quarta-feira foram marcados por intensa oração pela reforma. Irmãos, fervorosamente, vinham para se reunir e orar para Deus abençoar cada decisão tomada para cada etapa da reforma.
O Espírito Santo de Deus guiou a mente e o coração da igreja para sabiamente decidir sobre cerâmicas, portas, forros, painéis e pequenos detalhes e ajustes. Orar continuamente, em alegria, em um só propósito, dirigidos pelo Espírito Santo foi a segunda lição. A cada semana, a arrecadação financeira aumentava, o entusiasmo se renovava, a vontade de servir era maior. Toda igreja, como corpo ajustado entregou aquilo que tinha: dinheiro, tempo, braços, especialidades profissionais, coragem, oração e louvores de gratidão em todas as circunstâncias. Houve dissabores, estresse, discussões, muito debate e reuniões, no entanto, tudo convergiu para revelar o zelo e amor da igreja pela obra.
Toda igreja soube, em meio às dificuldades, olhar para o alto, fincar a Fé na âncora da alma, Jesus Cristo, alegrar-se Nele, orar continuamente para que o Espírito Santo dirigisse cada passo dessa jornada. Toda igreja aprendeu uma terceira lição em meio aos revezes da vida: dar graças a Deus em todas as circunstâncias.
Aqui estamos, com os lábios de louvor, alegres em Cristo, reunidos como igreja. Que possamos repetir as palavras de Paulo, em 1 Tessalonicenses, convictos de que a lida é planejada, ofertada, conduzida e concluída por Deus, e como servos, nossa oração é estarmos prontos para de dizer SIM, sempre que preciso for. Amém.

Jornalista, autor, narrador e agora blogueiro.

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer